Aprender com Maquiavel a combater a Covid 19

 In Blog

A prudência consiste em saber reconhecer a natureza dos inconvenientes, aceitando como bom o menos mal.” – Maquiavel

Ensino à minha prole que a maior prova de inteligência que um ser humano pode dar é manter-se vivo. E quanto mais difícil for a circunstância ou mais arriscado for o constrangimento à vida, mais crítico será o valor da inteligência, no plano individual e no plano colectivo.

Acredito piamente que nascemos para sobreviver pelo máximo prazo possível, tirando partido da biologia até ao limite das possibilidades, incluindo nestas tudo o que nos é dado sentir, pensar e acreditar.

Vejo uma multidão de amigos, conhecidos e simplesmente compatriotas da Humanidade verdadeiramente aflitos com a pandemia, tentando na medida da sua inteligência e recursos fugir das mais funestas consequências.

Quero dizer-vos que sofro com todos os que sofrem e perdem familiares e toda a informação sobre o mal dos outros se acrescenta aos meus próprios medos e incertezas.

Mas a sobrevivência colectiva não se assegura sem a sobrevivência individual e não serão lágrimas ou fingida serenidade que nos farão passar o túnel da desgraça e ficar a salvo da tragédia.

Podemos e devemos ficar em casa porque se afigura a estratégia mais inteligente para evitar a propagação do Covid, mas desde já convém imaginar soluções para o caso desta estratégia ser mal sucedida.

Por razões que não vêm ao caso, suspeito que a situação de pandemia vai piorar muitíssimo e durar muito mais do que a nossa mal treinada paciência aguentará.Lideranças frouxas e silêncios majestosos podem fingir a inexistente sabedoria e a indetetável coragem mas pouco efeito terão sobre o vírus do desespero social dos que vão perder tudo, ainda que mantenham o principal – a sua vida física.

Mais do que os políticos serão os empresários a ditar o destino do País. Dos políticos, francamente, pouco há a esperar, perdidos como sempre nos solilóquios e nas piruetas das marionetas. Mas dos empresários e das suas empresas dependemos todos, porque sem uma sociedade ativa e uma economia resiliente restará apenas a miséria e a falta de esperança, que leva ao abandono do País.

Paulo Fidalgo

Recommended Posts

Leave a Comment