Mitos sobre o mercado de trabalho

Artigos Mitos sobre o mercado de trabalho
  • 19 Feb, 2021

Mitos sobre o mercado de trabalho

O mercado de trabalho é muitas vezes visto como extremamente potenciador de situações de stress e, não raras as vezes, também assustador. Isto deriva de alguns mitos que têm vindo a ser formados ao longo dos anos e que, embora possam ter representado alguma vez a realidade, é necessário que sejam desconstruídos.

Tanto quem nunca trabalhou como os que já trabalham há anos, certamente já se depararam com certas expectativas relativamente ao mercado de trabalho que nem sempre correspondem à realidade e, por isso, podem e devem ser desconstruídas. Mitos como pensar que não é possível ser feliz enquanto se trabalha ou que só se considera ser de sucesso a pessoa que se mantém na mesma empresa por toda a sua carreira - ou durante muitos anos.

São mitos como estes que devem ser desmistificados para que o mercado de trabalho não seja visto como uma mudança assustadora na vida de jovens profissionais, mas sim como uma mudança necessária para o seu crescimento, que pode ser levada com calma e acima de tudo deve ser tomada com a ambição de ser uma mais valia e de acrescentar valor para o bem da empresa.


Alguns dos maiores mitos do mercado de trabalho são:

  • Não se pode errar

Este é um dos mais comuns e mais errados mitos. Errar não devia ser olhado como uma falha, mas como uma forma de aprendizagem. Não é possível entrar no mercado de trabalho com medo de fazer mal o que é pedido. Claro que quantos menos erros se cometerem, melhores resultados para a empresa, mas quem contrata tem de ter a noção de que a pessoa que está a trazer para a empresa e, no caso de ser alguém com pouca ou nenhuma experiência de trabalho, não estará à espera de perfeição. Errar é humano e quanto mais cedo se aceitar que é algo inevitável, mais rapidamente a pessoa poderá aprender e, consequentemente, melhorar.

  • A única coisa que o poderá fazer feliz é um bom salário

Embora possa ser um bom gerador de felicidade, se a pessoa não gosta do que faz ou se está inserido num mau ambiente de trabalho, por maior que seja o seu salário, esta poderá não ser feliz no contexto laboral. Assim, na altura de escolher o emprego, não se guie apenas pelo montante que irá receber, avalie também se irá gostar das suas funções.

  • O selecionador responde imediatamente aos candidatos que o interessarem

Ora, este é outro pensamento muito comum, especialmente para aqueles que estão a entrar no mercado de trabalho e começaram a enviar currículos e a responder a ofertas de trabalho. Há várias razões que levam o empregador a não responder nos dias, ou mesmo nas semanas, seguintes, por exemplo, pode estar à espera de que o período de candidaturas termine, de forma a que seja possível analisar todas de uma vez. É normal não obter resposta nas primeiras semanas, por isso o melhor é continuar a procura sem desesperar.

No final de contas, é necessário que exista confiança entre o empregador e os seus colaboradores para que o ambiente de trabalho seja agradável e que estes acrescentem valor à empresa. Desta forma, há maior probabilidade de que o retorno se torne positivo. Por isso, não deixe que estes mitos o atrapalhem de seguir em frente e alcançar os seus objetivos profissionais.