Compreender o Cisne Negro – estamos preparados?

 In Blog

O termo/conceito Cisne Negro foi popularizado por Nassim Nicholas Taleb, professor de finanças, escritor e ex-operador de Wall Street.

Taleb escreveu sobre a ideia de um evento “cisne negro” num livro de 2007, antes dos eventos da crise financeira de 2008.

Taleb argumentou que, como os eventos de cisne negro são impossíveis de prever devido à sua extrema raridade e têm consequências catastróficas, é importante que as pessoas e as empresas assumam que um evento cisne negro é uma possibilidade real e planeiem adequadamente essa circunstância.

Mais tarde, Taleb usou a crise financeira de 2008 e a ideia de eventos de cisne negro para argumentar que, se um sistema falhar por uma causa tão excepcional e catastrófica, apesar das severas consequências ficará mais fortalecido contra a catástrofe de futuros eventos do cisne negro.

Também argumentou que um sistema que é equilibrado e isolado do risco torna-se mais vulnerável a perdas catastróficas durante eventos raros e imprevisíveis.

Taleb descreve um cisne negro como um evento que:

1) está além das expectativas normais, pois é tão raro que até a possibilidade de ocorrer é indetectável,
2) tem um impacto catastrófico quando ocorre
3) é explicado em retrospectiva como se fosse realmente previsível.

Para eventos extremamente raros, Taleb argumenta que as ferramentas padrão de probabilidade e previsão, como a distribuição normal, não se aplicam, pois dependem de grandes populações e tamanhos de amostras anteriores que nunca estão disponíveis para eventos raros por definição.

Extrapolar usando estatísticas com base em observações de eventos passados não é útil para prever cisnes negros e pode até levar-nos a decisões que nos tornam mais vulneráveis a esses fenómenos.

A incapacidade de prever cisnes negros só é trágica porque tais eventos podem ter consequências tão graves. Se fossem eventos inconsequentes, apesar de imprevisíveis, seriam obviamente menos interessantes.

Um aspecto chave de um cisne negro é o facto de, sendo historicamente importante, suscitar um interesse desmesurado para a sua compreensão, com uma multidão de observadores a tentar explicá-lo, especulando depois do sucedido sobre as formas como poderia ter sido previsto. Infelizmente, segundo Taleb tal especulação retrospectiva não ajuda a prever cisnes negros.

Paulo Fidalgo
15 de março de 2020

Recommended Posts

Leave a Comment