As pessoas estão online e marcas devem estar ON

 In Blog

Utilizadores anseiam sensação de normalidade online que já lhes foi roubada no mundo offline

A surpresa provocada pelo Covid-19 e o medo generalizado ativou o modo crise de muitas empresas que decidem neste momento que despesas cortar. Entre lay-offs e reduções orçamentais há algo que que não podem prescindir, os seus clientes.

Agora que estamos todos em casa, nunca houve tantas pessoas online e recetivas a serem estimuladas através dos diversos canais das marcas.

Seja do site, redes sociais ou e-mail, os consumidores esperam que as marcas não os abandonem e que mantenham uma sensação de normalidade online que já lhes foi roubada no mundo offline.

Esta é uma oportunidade para fazer um upgrade não só na quantidade mas sobretudo na qualidade do contacto com os seus clientes.

O que se deve comunicar nesta altura de crise?

A maioria dos consumidores estão curiosos para saber como as marcas estão a lidar com a crise do Covid-19. Como estão a lidar com os seus recursos humanos, como adaptaram o regime de trabalho e até mesmo que posição emocional tomam em relação a esta situação.

Nesse sentido é importante comunicar, com uma aposta maior em:

  • Conteúdos leves, informativos e de alta relevância;
  • Não basear todos os temas no Coronavírus (todos sabemos o que se está a passar);
  • Apostar na venda de serviços úteis para a comunidade;
  • Mostrar um lado empático, criando ou não uma persona para responder à situação.

Existem muitos caminhos a seguir e o mais arriscado é parar de comunicar. O momento que estamos a viver é também uma oportunidade para construir uma ligação forte entre marca e consumidores, criando engagement para um futuro mais brilhante.