Dicas para vencer numa entrevista de emprego

Depois de um curriculum vitae bem construído, a segunda grande etapa é a entrevista de emprego. Para o candidato, é fundamental destacar-se. Para o recrutador, é imprescindível apostar nas questões certas. A Marketividade dá algumas sugestões para ambos os casos!

Se vai ter uma entrevista de emprego, quer dizer que, muito provavelmente, o seu CV se destacou dos demais. O próximo passo é mostrar na entrevista os seus pontos fortes, não esquecendo também dos fracos ou a melhorar. Para o recrutador, é imprescindível saber avaliar o candidato não apenas nas suas habilidades e capacidades profissionais, como também traços específicos de personalidade que se enquadrem no perfil pretendido.

Enquanto candidatos a um posto de trabalho, é muito importante que tenhamos a noção das nossas skillse em como podemos ser uma mais-valia para a empresa. Mas, não raras vezes, os candidatos são surpreendidos com perguntas negativas, ou seja, para enumerar, por exemplo, os seus maiores defeitos.

E é por esta mesma razão que é imprescindível que nos conheçamos bem e saibamos identificar exatamente no que somos bons e no que podemos ainda vir a melhorar, não sendo surpreendidos com nenhuma questão do género. 

Como se destacar numa entrevista de emprego

Reveja o seu CV e acrescente valor na conversa

O seu currículo destacou-se entre os demais candidatos, levando-o à entrevista. Portanto, há que rever o seu currículo, sabendo exatamente que informação relevante pode acrescentar ao seu percurso profissional, académico ou outro. É de máximo valor quando, por exemplo, dá exemplos práticos do que aprendeu, ou dos feitos que realizou e conquistou, em cada um dos pontos descritos no CV, acrescentando informação relevante que se destaque para o cargo em questão. 

Faça os trabalhos de casa: estude a empresa

Quanto mais souber sobre seu potencial empregador, maiores serão as hipóteses de conseguir o emprego e de responder adequadamente a possíveis perguntas sobre o tema. Desde os objetivos e valores organizacionais aos maiores concorrentes, mostre que conhece a história da empresa. Não se esqueça de dar um olho nas redes sociais, que acabam por ter bastantes informações úteis. Quanto mais souber, mais tópicos de conversa e debate pode iniciar, dando ideias ou sugestões e mostrando que está, desde o início, empenhado em perceber e contribuir positivamente para a empresa.

Mostre como pode agregar valor e contribuir positivamente

É importante que saiba exatamente a que cargo está a candidatar-se e mostrar de que forma a sua chegada pode acrescentar valor. Desde o curso que tirou, passando por projetos que fez ou situações práticas que resolveu, mostre que é capaz de entrar para fazer a diferença. Use a sua experiência a seu favor! Caso ainda não tenha muita experiência, mostre que tem muito gosto e facilidade em aprender e recorde, por exemplo, trabalhos noutras áreas que possam mostrar que as suas skills existem e que precisam apenas de ser postas em prática. Prepare, por isso, possíveis respostas para questões baseadas nas suas competências, como por exemplo, como trabalha sob pressão ou como resolveria algum tipo de conflito, etc.

Conheça seus pontos fortes e fracos

Entrevistas baseadas em pontos fortes têm como finalidade descobrir insights genuínos sobre as aptidões inatas dos candidatos, assim como saber trabalhar em equipa, não ceder sob pressão ou ser metódico e organizado. Já a procura por pontos fracos, ou a ser melhorados, tenta entender o sentido autocrítico do candidato e perceber quais os pontos de maior dificuldade e que precisam de maior investimento e aprendizagem. 

Saiba causar uma boa primeira impressão

Para além de tudo o que vai dizer durante a entrevista, não pense que a apresentação é algo que deva ficar para trás. Quando encontramos alguém pela primeira vez, mais de 90% da imagem que construímos inicialmente da pessoa tem como base impressões não verbais: falamos, pois então, da aparência e da linguagem corporal. Geralmente, esta impressão é tirada logo no primeiro minuto da entrevista. A sua roupa deve ser também enquadrada com a organização a que se candidata – mas, acima de tudo, vista algo com o qual se sinta confortável e confiante. A nível de linguagem corporal, mantenha as costas direitas e incline-se ligeiramente para a frente, de forma a mostrar interesse na conversa. Não se esqueça do contacto visual!

Que perguntas fazer enquanto recrutador?

O papel do recrutador é conhecer, ao limite, o candidato que entrevista de forma a conseguir avaliar a sua aptidão para o cargo pretendido. É, por isso, fundamental apostar nas perguntas certas e saber ler corretamente as respostas dos entrevistados.

A Marketividade reuniu algumas perguntas fundamentais que podem – e devem – fazer parte da sua carteira de questões imprescindíveis em tempo de entrevista de emprego. Ora veja abaixo:

Averiguar os defeitos do candidato

Ainda que seja mais essencial saber exatamente quais as qualidades e competências do entrevistado, é igualmente interessante ficar a conhecer o seu sentido autocrítico. As pessoas que reconhecem os seus defeitos conseguem mais facilmente arranjar mecanismos para os superar, do que aquelas pessoas que nunca se debruçaram a pensar sobre o que querem ou podem melhorar nas suas aptidões.

Questionar sobre grandes conquistas

Quando tentamos perceber quais as grandes conquistas dos candidatos, conseguimos não apenas entender os seus feitos (e avaliá-los em concordância com o cargo ao dispor) mas também entender mais a fundo quais os objetivos do candidatado – e de que forma ele corre atrás dessas mesmas realizações. Aqui, podem entrar tanto conquistas profissionais como pessoais, o que enriquecerá ainda mais o conhecimento do candidato.

Saber porque quer trabalhar nesta empresa e porque deve ser contratado

A primeira questão poderá avaliar o nível de conhecimento que o candidato tem sobre a empresa e sobre a vaga a que se candidatou, entendendo também os motivos pelos quais tentou entrar na empresa. Sobre a segunda questão, conseguimos entender quais as mais-valias, no ponto de vista do recrutado, que pode trazer para a empresa. Outra boa questão é perguntar ao entrevistado o que é que o diferencia dos demais. Isto ajudará a entender os pontos diferenciais entre candidatos.

Saber o que a pessoa faria caso ganhasse o Euromilhões

Esta é uma questão que tende a apanhar os candidatos de surpresa, mas que é vulgarmente utilizada em vários processos de recrutamento. Neste tipo de questão, entendemos mais a fundo o tipo de personalidade da pessoa, os seus gostos e desejos e até mesmo o seu carácter humano. Também a questão “que animal gostaria de ser” diz muito sobre os traços de personalidade do candidato. A questão “como se vê daqui a cinco anos” também é vulgarmente utilizada em vários processos de recrutamento, para verificar os objetivos e concretizações do entrevistado. 

Questões metódicas de reação ao trabalho

Existem algumas questões-chave que irão dar as ferramentas necessárias ao recrutador para entender de que forma o candidato poderá reagir a certo tipo de situação. “Como é que trabalha sob pressão?”; “como reage às críticas” ou “prefere trabalhar em equipa ou de forma individualista” são alguns exemplos de perguntas que pretendem mostrar a forma como o candidato se poderá relacionar com o método de trabalho pretendido. 

Existem várias outras questões que podem e devem ser questionadas aquando de uma entrevista de emprego, mas estas são algumas das que a Marketividade considerou ser mais diferenciadoras. O importante é que o recrutador saiba bem quais as skills e personalidade que os candidatos devem ter para preencher a vaga e reunir as perguntas indicadas para extrair essa mesma informação. 

Já o entrevistado deve, acima de tudo, conhecer-se muito bem a si mesmo e fazer o trabalho de casa correto para não se surpreender com algumas questões. 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Voltar ao topo